escrito por : Iury Santos Lima 24 de janeiro de 2014

Libertanime 2014- A hora da verdade! Edição fala abertamente da relação amorosa entre os personagens Edgar e Fábio e seus conflitos familiares



A 57ª edição da série mensal em quadrinhos Luluzinha Teen e Sua Turma, lançada pelo selo Pixel trás a segunda edição do Libertanime, evento otaku criado pela personagem Aninha. O sucesso da primeira edição do evento, na edição de número 45 foi tanto, que realmente, precisava de uma segunda dose!

Veja a capa, que está incrível! Desenhada por Michel Gomes, e colorida por Rafael Lam.




Na história, Aninha enfrenta algumas complicações para realizar a segunda edição de seu evento, mas com a ajuda de seu irmão, Careca, e os amigos, tudo dá certo. Um roteiro pra otaku nenhum colocar defeito!


Veja em uma das páginas abaixo, cedida pelo estúdio Labareda Comunicação e Design, como é complicado resolver até mesmo as coisas mais simples de um evento de anime. O interessante é que Marcel R Goto, roteirista, deixa isso de uma forma bem cômica, transbordando humor. Apesar de todos os desafios, este ano, o Libertanime tem tudo para ser ainda melhor. Aninha e a turma que cuidem direitinho dos preparativos.



O outro foco da história é o namoro de Edgar e Fábio, os personagens gays do elenco de Luluzinha Teen. Edgar surgiu na edição de número 49 (com título de capa 'Caça-Fantasmas'). Ele foi a salvação para a banda Loki, que procurava por um baixista talentoso. Logo o jogo foi aberto, aquele garoto tão sério e com tão grande talento nos dedos para tocar 'prefere meninos'- como a Rosa alegou ao Bola e ao Careca. Tudo indicava que a partir daí rolaria uma "treta", pois os meninos poderiam não gostar disso na banda. E para a surpresa de muitos leitores, ou até mesmo de todos eles, Edgar foi muito bem recebido na banda, e na turma. Luluzinha Teen marcou um grande ponto com isso. Apostar nisso numa revista teen, onde crianças também transitam, é algo meio perigoso. Sempre tem aqueles adultos que pensam que isso ou aquilo vai influenciar seus filhos a fazerem o mesmo, e rola até mesmo um preconceito ao tema nos quadrinhos nacionais, uma dose muito exagerada de "conservação" dos padrões da sociedade.

Desde o surgimento do Edgar, os leitores passaram a sentir necessidade de mais informações sobre o personagem, sobre sua vida. Queriam um destaque maior do garoto nas aventuras da turma. Atendendo a isso, Marcel ousou na 51ª edição da série, onde Edgar chega de mãos dadas com Fábio para o show da banda Loki. E isso só aumentou ainda mais a vontade de ver mais sobre os novos personagens. 
Na atual edição, a ousadia de Marcel vai além, para a nossa alegria! Parece que finalmente, os pais de Fábio descobriram tudo, e agora, muita confusão vem aí, dando início a um grande conflito familiar...
Imagem liberada ao blog pelo estúdio Labareda Comunicação e Design

"Aninha e Lulu encontram o Edgar e o Fábio um pouco chateados. Parece que o Fábio finalmente contou para os pais dele que está namorando o Edgar, e eles ficaram furiosos!

 Começa o segundo dia de evento e, entre os convidados nada convencionais, os pais do Fábio decidem aparecer. A confusão está armada! Entre gritos e ofensas, Lulu tenta acalmar os ânimos, mas só quem consegue falar umas verdades aos pais do Fábio é o Vicente."  - Trechos retirados do resumo da revista, divulgado no blog oficial da publicação.


 "A reação do público ao Edgar, um personagem gay que foi acrescentado ao elenco da revista, foi muito positiva. Acho que isso, somado ao fato de que eu sinto que tenho a responsabilidade de abordar temas atuais e importantes nas histórias quando possível, fez com que fosse uma questão de tempo até mostrarmos de alguma forma o problema do preconceito. A revista é voltada para os jovens, não necessariamente crianças. Acho que o perigo maior é sermos excessivamente conservadores, como é a tradição dos quadrinhos nacionais para esse público, e subestimarmos a capacidade dos jovens de lidarem com temas do mundo real que são mais complicados, mas que são tão importantes para eles. 
Eu me sinto muito privilegiado por ter a liberdade de abordar temas como esse na revista. É algo que eu aprecio muito no trabalho com a Lulu Teen, que torna ele ainda mais especial pra mim. " - Disse Marcel R Goto, roteirista da Luluzinha Teen, em nota ao X-DIVERSÃO.



Marcel está mais que certo em ter a reocupação de trazer TEMAS REAIS para as histórias. Hoje, o jovem quer ver algo que realmente o interesse, que faça parte de sua vida, de uma forma ou outra. Luluzinha Teen anda crescendo bastante com isso. Preocupar-se com o que anda acontecendo com  o jovem e retratar isso, é uma das maiores provas de que o produto em questão é feito com dedicação de verdade. A revista é teen, logo, seu tema tem que ser teen. Edgar e Fábio chegaram para completar o núcleo cultural que a revista faz questão de mostrar desde a primeira edição. E que os personagens tragam inúmeros outros bons resultados.


A revista tem lançamento oficial previsto para o dia 27 de janeiro, e estará disponível nas bancas e livrarias do país, custando apenas R$ 4,90.  A  edição ainda trás com exclusividade uma entrevista com Lua Blanco! Garanta seu exemplar!

{ 11 Comentários... read them below or Comment }

  1. essa ediçao e perfeita, comprei e posso dizer que e muito boa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita mesmo!
      Uma edição que vai impressionar a todos,
      e marcar a história da publicação. ;)

      Excluir
  2. Aceita parcerias?
    http://chicobentomocooficial.blogspot.com.br/
    Seu banner já está em Afilie -se!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parceria aceita!
      Seu banner já se encontra em nossa lista de parceiros.
      Agradeço a parceria.

      Excluir
  3. Até a parte de tentar impedir preconceito e violência eu apostava meus nipes na edição. Mas quando rolou aquele beijo gay eu perdi o interesse. Realmente, isso desrespeita a natureza cristã; religiosa.
    Algo a descordar? Aceito opiniões de valor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo,
      É realmente um tema que levanta opiniões e pontos de vista diferentes.
      A Bíblia e a sociedade impõe sim, padrões de vida e comportamento. Porém, é impossível que todos sejam seguidos ao pé da letra. Nossa sociedade é constituída de pessoas diferentes, com gostos, costumes e preferências diferentes. Mesmo que seja algo que fere os princípios cristãos, a homossexualidade é um tema real da vida. Claro que do ponto de vista religioso pode ser errado, mas é uma diferença que precisa ser respeitada, assim como a diferença social, racial e outras, que muita gente faz questão de mostrar que respeita.Esse tabu parece até nunca ter fim, sendo que existem muitos outros problemas maiores, como a corrupção da política e justiça, a criminalidade das ruas, ou por que não falar aqui da fome mundial? A sociedade procura muito mais mudar a realidade gay, tentando eliminá-la, do que preocupar-se com esses problemas citados anteriormente. Estou sim, generalizando, há aqueles aqueles que lutam pelos direitos gays, mas nem todo mundo ainda aceita isso, e muito menos respeita. Dessa forma, é impossível dizer que vivemos numa sociedade desenvolvida.

      Além do mais, outros 'tabus' cristãos já foram derrubados, como na colonização do Brasil, que no processo de cristianismo, os demônios e forças malignas eram vistas como criaturas escuras, pretas, negras, fazendo alusão aos negros; e os anjos e as forças divinas, representadas de imagens luminosas, pessoas branquinhas e louras, de cabelinhos encaracolados. Tantas outras regras da Bíblia não são mais seguidas, regras estas estabelecidas como padrão de vista cristão, que nem se quer, as igrejas hoje se dão ao trabalho de cobrar. Talvez, seja a hora de repensar se esse aspecto não pode ser revisto.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Mas o foco é o beijo gay.
    Ele foi mesmo necessário? Se não ocorresse o beijo homossexual, os gays ou quem defende a atitude sentiria a falta dessa parte na história? Se pensarmos por esse lado, os leitores da revista Luluzinha Teen e sua Turma estão divididos em homossexuais e não homossexuais. Os homossexuais defendem os valores humanos, como por exemplo, um homem que beija o outro é normal. Agora podemos classificar os não homossexuais em dois grupos: os que acham isso normal e os que valorizam os conceitos cristãos. Eu defendo os valores cristãos e me pergunto: será que o beijo gay foi necessário?
    Se não tivesse existido teria dado essa polêmica toda? Será que não seria mais justo com quem defende os valores religiosos e cristãos que essa parte tivesse sido cortada?

    E além do mais, temos esse botão fora da camisa que insiste em cair do bolso: devemos abordar esse valores e não fingir que são inexistentes. Eu digo que não. Não devemos abordar esses valores. Porquê?
    Porque quanto mais abordamos esses valores e deixamos uma moral de que isso tem que ser aceito, mais gays surgem.
    Não que isso seja errado, cada um faz o que quer. Deus deixou isso claro. Mas quanto mais a sociedade aceita o que é contra o cristianismo, mais o próprio cristianismo vai sendo extinguido.

    Mas aí eu comento o que basicamente eu comentei aqui e adivinhe: sou xingado. E aquela velha história de cada um com sua opinião...? Cheguei a ser ofendido moralmente. A pessoa que comentou mandou eu e minha religião tomarem no _ _. Mas ao menos existem pessoas como você, Iury, que sabem conversar e discutir.

    Então eu quero deixar a sociedade inteira pensando: será que o beijo gay seria necessário?

    ResponderExcluir
  6. Sim, Gustavo!
    O beijo era sim, necessário!
    Veja só, Luluzinha e Bola namoram, logo se beijam. Leon e Glorinha quando namoravam, também. O mesmo aconteceu com Alvinho e Lila, Aninha e Ícaro, e etc. O beijo, é sim, importante ser mostrado. Se Edgar e Fábio namoram, por qual motivo não mostrar? A intenção, não era, de forma alguma, ferir princípios, sejam eles quais forem, mas sim, mostrar uma realidade que vive escondida e censurada. A homossexualidade existe desde os tempos mais remotos. Se o beijo não ocorresse, ficaria algo incompleto... Luluzinha Teen está apenas mostrando uma realidade tão comum quanto qualquer outra, mas que vive no lado obscuro, que quase nunca é mostrado, ou aceito.

    ResponderExcluir
  7. A diferença é que quando um homem beija uma mulher eles não estão desrespeitando as leis religiosas, já quando um homem beija um ser do mesmo sexo que o indivíduo, sim.
    E dava para abordar a relação entre dois homens sem mostrar o contato labial entre eles. Sem preconceito, sem desrespeito.
    Seria melhor assim, do meu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  8. Gustavo,
    ao meu ponto de vista, foi preciso sim mostrar o beijo.
    Foi apenas uma manifestação de carinho entre duas pessoas que se amam.
    Ferindo padrões cristãos ou não, causando revolta ou alegria, foi preciso. É uma realidade. Isso existe, e não deve ser escondido.

    Mas como você disse, cada um, pensa de uma forma.

    ResponderExcluir

- Copyright © X-Diversão - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -