escrito por : Iury Santos Lima 22 de setembro de 2015


No clima de volta do blog, e ainda, de transição de fase, que começo a escrever este post. Não sei se este é tipo de post que você, leitor do X-Diversão, gostaria de ler, mas, preciso colocar isso pra fora. Tenho de compartilhar todas essas mudanças, afinal, foram vários meses sem postar aqui (em parte por decorrência disso mesmo).

Tudo quando começou quando no ano passado, não me recordo o mês, o blog começou a apresentar alguns probleminhas.. entrei em contato com amigos que sempre me ajudavam com essa parte técnica do blog, mas o problema era tão difícil de resolver, que foi se estendendo e o tempo passando. Quanto mais tempo eu ficava sem poder resolver o problema, e, em decorrência disso, postar, confesso que fui desanimando ao ver as visitas caindo e o blog ficando às traças. Mas o que ainda reforçou a falta de tempo pra dedicar ao blog,  foram os acontecimentos do segundo semestre de 2014, com o fim do ensino médio pra mim, formatura e todas as confusões que uma turma pode enfrentar com isso, e a chegada do tão temido, porém esperado, VESTIBULAR! 

Foto de 2012, no 1º ano do ensino médio. Conosco, a professora Iracilda,
uma mulher simplesmente incrível e inspiradora.
As aulas estavam acabando, a correria por isso aumentando, e todas as "tretas" da comissão de formatura, acabando com a união de uma turma que estou junta desde a primeira série do ensino fundamental. Era como ver uma incrível e bela obra rara e valiosa se despedaçar, não só pelo fato da minha turma ser considerada a melhor da escola, em questão de produção e apoio a todo tipo de evento que depende dos alunos para promover bons resultados para uma escola, mas também,  pela amizade que construímos em mais de uma década juntos.








Em meio a isso, a semana do vestibular chegou. Na verdade, me inscrevi para dois. Uma na cidade de Porto Velho,  capital de Rondônia, para o curso de Jornalismo (o meu maior sonho), e o outro, na minha cidade Natal, Rolim de Moura, aqui também em Rondônia, para o curso de Direito. Porém,  por questões maiores (minha mãe,  no caso), não realizei o vestibular de Jornalismo, por todo aquele papo de mãe de dizer que "jornalista passa fome". Não que eu acredite nisso, mas porque contrariar a minha mãe não é algo fácil.  Neste caso, peguei a estrada para Rolim, na companhia de Felipe, meu amigo de infância. Ele também prestou o vestibular para Direito. Estávamos apreensivos, pois todos os amigos, praticamente, estavam prestando vestibulares estado afora, mas nem todos passavam. Fizemos a prova e ficamos na expectativa.


Prova feita, retorno a Costa Marques! Era a semana da festa. E, ainda bem, toda a turma foi aprovada, ninguém ficou pra trás. Ensino médio concluído! 
O clima ainda era pesado, mas, nada que uma noite especial não resolvesse. Foi choro, muitos pedidos de desculpas e muita música!  Hahaha. Amizades renovadas, professores felizes, e ainda no efeito da emoção da nossa cerimônia de colação de grau do dia anterior! Autoridades locais da educação presentes disseram que nunca viram naquela cidade uma cerimônia tão linda e uma turma de demonstrasse tanto respeito, carinho e reconhecimento aos professores. Realmente, foi lindo!













Umas duas semanas depois, resultado do vestibular!  Com isso, a surpresa e a felicidade: Felipe e eu aprovados no curso de Direito! Claro...ainda não era o curso dos sonhos, mas a sensação era inexplicável.  E nisso, as mudanças de pensamento começaram.

Eu sempre pensei que o Direito só servia para livrar a cara de bandidos, e, nossa, como eu estava enganado! O Direito não serve para ser porta de liberdade para delinquentes. Ele vai muito além, e na sua essência,  nem é isso. O Direito serve para organizar tudo à nossa volta. Agora, quando me dizem que só pensamos em livrar a cara de marginais safados,  respondo que não é isso, mas que defendemos o direito de defesa, e dos princípios fundamentais garantidos a toda pessoa humana, independente do ato que cometeu. E o Direito não se limita a apenas isso. Ele está em tudo. De fato, me apaixonei pelo curso, mas a chama do Jornalismo ainda não se apagou. Ainda mais por eu ter ganho uma bolsa do ProUni na capital para Jornalismo. Mas observei que o mais prudente, no momento, ainda é permanecer no Direito e fazer valer todo o investimento até aqui.

Marcos (na frente da foto), Júlio, eu, João, Felipe e Guilherme
(foto do nosso grupo de estudos, ainda no 1º semestre)
Em resumo, viver essa nova fase, na faculdade, voltar a morar na minha cidade natal é muito incrível! Ganhei novos e incríveis amigos, e novos projetos começam a nascer. E com tudo isso, a responsabilidade e a maturidade são precisas e muito cobradas pela parte de todos e por mim mesmo.
Estou desenvolvendo projetos que podem resultar em muita coisa boa, não só na vida acadêmica,  mas na carreira futura e também na vida
Felipe, Jayne, e eu.
pessoal.

O blog está de volta, e a volta dele faz parte disso. Esse espaço será ainda melhor! E convido vocês,  leitores de sempre, a caminharmos juntos. Mostrem o blog pros amigos, parentes e pra todos que vocês acham que podem gostar. O público será a peça-chave.
A quem leu tudo isso, agradeço de verdade.  Pretendo continuar postando assuntos relacionados, e tem posts sobre vida acadêmica e carreira vindo aí,  pra ajudar na decisão do curso e vida acadêmica dos leitores.








Continuem ligados!

deixe uma resposta

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

- Copyright © X-Diversão - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -